Os seis erros do debate entre blogueiros e jornalistas no Campus Party

Ok, sobre o debate com jornalista de blogueiros de ontem, aqui no CampusParty. Foram convidados alguns jornalistas, entre eles Pedro Dória, e alguns blogueiros que, além de blogueiros, também eram jornalistas, com excessão do Cardoso.

Mais uma vez deixaram claramente a mesa separada ao meio, criando ali mais uma espécie de barreira entre os dois grupos. Foi o primeiro erro.

Blogueiros e mídia hoje ainda parecem dois feudos brigando entre si para saber quem é maior e/ou melhor. Quando um tenta bater a porta do outro, é enxutado e humilhado, o que acaba com qualquer tentativa de aproximação.

A primeira pergunta foi: Quem ganha e quem perde com a nova linguagem digital?

Ora, antes de responder isso, devemos deixar uma coisa bem clara: a língua não só portuguesa, como do mundo todo mudou muito depois da era digital. A forma de expressão, as gírias, os termos são totalmente diferentes. Parece óbvio? Não para alguns jornalistas, que insistem em dizer que no fim das contas nada mudou. Foi o segundo erro.

Em seguida, Pedro Dória disse que a pressa que os blogueiros tem em produzir conteúdo e publicá-lo todos os dias, impede que fatos sejam averiguados de uma maneira mais profunda, como por exemplo alguma matéria que poderia levar dias ou semanas para ficar pronta.

Os blogueiros nunca terão estrutura nem equipe para isso, certo? Certíssimo!! Mas isso nunca foi o objetivo e nem o foco de nenhum blog, e é exatamente por isso que a mídia tradicional vai sempre continuar a ter seu espaço ao Sol. Os blogueiros não querem passar a apurar fatos, entrevistar traficantes e nem sair correndo com um microfone no meio de um tiroteio. Bola fora número três.

Como não podia deixar de ser, a credibilidade dos blogs foi questionada. Numa réplica merecedora de palmas, Cardoso leu o artigo da Super Interessante citando o Campus Party e referenciando este como sendo um evento de nerds que vieram desfrutar do link de 5Gb para fazer download de filmes pornôs e outras baboseiras. Seria essa a postura de uma mídia com credibilidade?

Também me parece bem claro que a credibilidade depende muito mais do indivíduo do que do meio de comunicação. Deve-se questionar a credibilidade das pessoas, e não dos blogs. Quarto erro.

Por fim, Pedro ainda profetizou o fim da internet com o Net Neutrality (saiba mais aqui) e disse que se o projeto virar uma realidade, os sites pessoais e blogs morrerão em pouco tempo.

Para mim, acreditar que a idéia do Net Neutrality vá vingar é subestimar a força da comunidade web. Erro número 5.

E o sexto erro fica por conta dos blogueiros. Blogueiros sabem se comunicar extremamente bem pela escrita, mas ainda ficam devendo na eloqüência e no discurso ao vivo. Os jornalistas da mesa, por mais que dissessem que a Wikipedia pode ser um grande mal pra humanidade (e disseram isso mesmo), sabiam como falar e como parecerem convincentes.

Espero para ver a hora que ambos os lados vão se tocar e perceber que as duas mídias se completam, e não concorrem.

Os seis erros do debate entre blogueiros e jornalistas no Campus Party
Avalie esse artigo:

12 Comments - Add Comment

Reply